Governo do Estado libera recursos para a apicultura de Parambu ~ Blog do Abraão Barros Parambu

quinta-feira, 14 de julho de 2016

Governo do Estado libera recursos para a apicultura de Parambu



O Governo do Estado do Ceará, através do Projeto São José 3, começou a liberar os recursos dos projetos produtivos de apicultura elaborados pela Associação de Apicultores de Parambu – PARAMEL e Cooperativa Agrícola Mista dos Pequenos Produtores de Parambu – COOAMPPP. O valor total dos investimentos ultrapassa a cifra dos 700 mil reais, beneficiando mais de 140 cooperados/apicultores que terão mais infra estrutura e equipamentos para produzir e comercializar o mel.

Depois de alguns anos de muitas reuniões e burocracias a resolver com papelada, Ademar Loiola – presidente da COOLIMEL e tesoureiro da PARAMEL comemora o resultado da luta e esforço conjunto dos apicultores que abraçaram o projeto e acreditaram que o sonho poderia ser possível. Somente na Associação de apicultores serão investidos 461 mil reais, para construção e melhoramento da casa do mel, compra de um transporte para auxiliar os apicultores durante a colheita e comercialização do produto, compra de uma maquina de sachê, centrifugas, decantadores e demais equipamentos básicos para produzir e manter a qualidade do mel que sai de Parambu como orgânico. Além do investimento em produção de mudas nativas e reflorestamento.
O projeto beneficia mais de 100 apicultores e segundo o Ademar Loiola, a primeira parcela para execução já se encontra depositada nos cofres da entidade. Ademar enfatiza que a conquista é mérito de todos os apicultores organizados na associação e das diretorias da PARAMEL (Associação) e COOLIMEL (Cooperativa) dos apicultores.

Como resultado de uma atividade que tem gerado lucro, neste ano de 2016 já foram comercializadas 36 toneladas de mel, ou seja, mais de 400 mil reais foram injetados na economia do município. A expetativa, segundo Ademar, é chagar em 60 toneladas.

COOAMPPP
Na mesma linhagem, os 40 cooperados da Cooperativa Agrícola Mista dos Pequenos Produtores de Parambu – COOAMPPP só tem motivos para comemorar, pois, o projeto da cooperativa com valor total de 302 mil reais também está sendo liberado. Com os valores, os cooperados também querem construir e equipar uma casa de mel, Implantar práticas conservacionistas do Bioma Caatinga com foco no pasto apícola; contratar Assistência Técnica especializada pelo período de um ano; realizar cursos de capacitação sobre manejo de apiário (manejo reprodutivo e alimentar), manejo de Caatinga (biodiversidade funcional para otimização do pasto apícola) e boas práticas de fabricação (condições higiênico-sanitárias dos processos de manipulação dos alimentos, higienização dos equipamentos, utensílios, instalações e edificações da casa do mel).

MERCHANDISING







O que é o Projeto São José 3
O Projeto de Desenvolvimento Rural Sustentável – PDRS/PSJ III tem como foco o fortalecimento da agricultura familiar e o bem estar das comunidades rurais.  A perspectiva é de aumentar a inserção econômica, a agregação de valor dos empreendimentos familiares da área rural, com financiamento de projetos produtivos no âmbito de cadeias produtivas promissoras, numa perspectiva de fortalecimento dessas cadeias e da inserção sustentável da agricultura familiar nos respectivos mercados.

Órgão Executor: Secretaria do Desenvolvimento Agrário – SDA, através da Unidade de Gerenciamento do Projeto –UGP;

Colaboradores: Ematerce, CAGECE, SOHIDRA | Co-executor: Tribunal de Contas do Estado – TCE

Cooperação Técnica: IICA

Beneficiários: Entidades representativas dos beneficiários legalmente constituídas

Valor Total do Projeto: US$ 150 milhões

Valor Financiado pelo BIRD: US$ 100 milhões

Valor contrapartida do Estado: US$ 50 milhões

Objetivos:
Ampliar a renda das famílias rurais com a estruturação e/ou dinamização das suas unidades de produção, de transformação e agregação de valor e de comercialização dos seus produtos;

Contribuir para a universalização do direito à água potável como bem essencial de consumo da população rural do Ceará e o esgotamento sanitário;

Viabilizar a participação qualificada e o controle social dos beneficiários e suas organizações nas ações de gestão do desenvolvimento local, bem como estimular as relações de complementaridade entre os programas governamentais.

Beneficiários
Agricultores familiares, que desenvolvam atividades agrícolas e não-agrícolas em comunidades rurais representados por suas organizações tais como: associações, cooperativas condomínios ou outras desde que legalmente constituídas. Serão, também, beneficiários os grupos sociais específicos, tais como quilombolas, povos indígenas, pescadores artesanais e outros grupos.


AÇÕES ESTRATÉGICAS DO PROJETO
COMPONENTE I - Inclusão Econômica
Apoia ações de fortalecimento e consolidação dos empreendimentos dos agricultores familiares e suas organizações. Estas ações serão focadas na melhoria e no aumento da produção e na inserção dos produtos no mercado, através do aumento da participação dos agricultores familiares nos elos de maior valor agregado das cadeias produtivas, (produção agrícola e não agrícola) de forma econômica, social e ambientalmente sustentável. Serão apoiados ainda, projetos de melhoria ou inovação tecnológica e investimentos na conservação e recuperação ambiental na área rural que visem a remuneração da renda pela prestação de serviços ambientais.

COMPONENTE II - Serviços de água
Apoia esforços do Estado para universalizar o acesso à água potável e esgotamento sanitário em áreas rurais. Deverão ser atendidas localidades com projetos que visem à ampliação ou implantação de sistemas de distribuição domiciliar de água potável e serviços de esgotamento sanitário simplificado nas comunidades beneficiadas com os sistemas de abastecimento de água. As soluções adotadas devem estar suficientemente embasadas em estudos de alternativas que contemplem aspectos técnicos, econômicos, financeiros, sociais e ambientais.

COMPONENTE III - Fortalecimento institucional e apoio a gestão
Desenvolve ações de comunicação, capacitação, apoio à gestão, elaboração de estudos, além de programas de intercâmbio para fornecer aos agricultores familiares condições de identificar as oportunidades de agregação de valor aos produtos nas cadeias produtivas onde se inserem ou novos mercados, bem como o público beneficiado com ações de serviços de água.

Meta
O Projeto pretende atender 32.400 mil famílias por meio da implantação de 490 Projetos, sendo 280 projetos produtivos. Componente de Inclusão Econômica atendendo à 10.400 famílias e 210 Sistemas de Abastecimento de Água e Esgotamento Sanitário Simplificado – SAAES atendendo à 22 mil famílias, nos 13 territórios rurais do Estado do Ceará. O PDRS ainda implantará 86 Projetos de Reuso de água beneficiando aproximadamente 85 famílias.

Unidade de Gerenciamento de Projeto
A UGP será a estrutura interna da Secretaria do Desenvolvimento Agrário – SDA responsável pela operacionalização do PDRS/Projeto São Jose III.


CURTA NOSSA PÁGINA

Todos os direitos reservados Abraão Barros. Tecnologia do Blogger.

MERCHANDISING

MERCHANDISING

CARRO À VENDA EM PARAMBU

CARRO À VENDA EM PARAMBU

MAIS SAÚDE

MAIS SAÚDE

MÉDICA VETERINÁRIA

MÉDICA VETERINÁRIA

COMERCIAL SÃO MATEUS

LOJA CENTER MIX

N-SISTEM

ÓTICAS MARINHO

Total de visualizações

VALE A PENA OUVIR

SIGA O AUTOR DO BLOG NO G+

Arquivos de Notícias

MAIS LIDAS DA SEMANA